A digitalização do processo logístico: fatos e tendências

digitalização do processo logístico next log
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

A era digital chegou para a logística. E a fim de entendermos um pouco mais dessas mudanças diárias no segmento é que a iniciativa Next Log reuniu especialistas para um bate-papo sobre a digitalização do processo logístico. Confira!

É inevitável falar sobre logística 4.0 quando o assunto é a digitalização do processo logístico. O termo surgiu juntamente à 4ª revolução industrial, abordando os incríveis avanços da tecnologia ao longo de toda a cadeia de suprimentos.

Máquinas controladas por computadores, robotização de linhas de produção, impressoras 3D e muito mais. Essas e outras tendências tecnológicas refletem uma nova visão para a operação logística, que, por sua vez, aspira por processos mais interligados, otimizados, ágeis e inteligentes.

E como isso se dá na prática? Cada vez mais, a digitalização do processo logístico está associada

Por isso, a Next Log convidou especialistas para discutir a digitalização do processo logístico, além de tirar dúvidas sobre as mudanças diárias, o futuro e as expectativas para a logística da indústria 4.0.

Esse bate-papo marcou o quarto webinário gratuito promovido pela iniciativa.

A digitalização do processo logístico: fatos e tendências

Participaram do encontro Hegon Dexheimer, Gerente de Produtos e Negócios da Oobj; Juan Malo Galvan, Diretor de Novos Negócios da Interlink Cargo; e Vinicios Fernandes, Diretor de Produtos e Desenvolvimento de Negócios da Repom; com mediação de Voltér Trein, CRO da eSales.

Confira os insights que esses especialistas compartilharam no webinário!

Transformação digital na gestão logística

As empresas do segmento de logística ainda gerem operações offline. Contudo, para solucionarem dores e facilitarem a vida de seus clientes, é necessário que elas entrem no mundo digital. 

É o que defende Fernandes, principalmente para que os prazos sejam atendidos e o negócio seja sustentável a longo prazo.

“Nós, como brasileiros, temos desafios de tornar a logística online. A nossa economia gira muito em torno da logística, principalmente a rodoviária. Então, vai ter muita inovação ainda pela frente, muita transformação”, prevê.

Isso envolve uma gestão de logística com processos eficientes, automatizados e informações gerenciais detalhadas para ajudar na tomada de decisão, facilitando o dia a dia de transportadoras e caminhoneiros.

“O futuro será pautado, principalmente, pela digitalização do processo logístico e por ferramentas preditivas, acompanhadas de mecanismos de inteligência artificial que antecipem as necessidades dos clientes, atuando de forma preventiva”, analisa Fernandes.

Para o Diretor de Produtos e Desenvolvimento de Negócios da Repom, economia e produtividade também são questões centrais deste cenário e são conquistados a partir da digitalização do processo logístico:

“O gerenciamento é cada vez mais estratégico para reduzir custos. Neste ponto, a inteligência artificial se mostra uma ferramenta eficaz para mapear e disponibilizar informações que vão apoiar todo o ecossistema logístico no aumento da qualidade e da gestão de seus serviços”.

Fernandes acrescenta ainda que o setor logístico já avançou muito quanto a soluções tecnológicas em suas operações. Ele defende a importância da inovação para transformar a logística, otimizando processos, aumentando a produtividade e proporcionando uma experiência com maior fluidez.

Veja o que são LogTechs e como trazem mais inovação à logística!

Não há logística 4.0 sem comunicação

De acordo com Galvan, a comunicação é um ponto central nesse cenário de digitalização do processo logístico

“O conceito da logística 4.0 nos aproxima de soluções que, durante muito tempo, foram difíceis de resolver para a grande maioria dos negócios, visto que nos encontramos em um país com uma malha rodoviária muito extensa e bem distante de atingir um nível aceitável”, analisa.

Além de destacar os desafios da malha rodoviária, o Diretor de Novos Negócios da Interlink Cargo também ressaltou que grande parte do parque automotor brasileiro é composto por autônomos, muitos sem tecnologias atualizadas de rastreabilidade. 

Dados recentes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) mostram que mais de um terço dos caminhões registrados são de autônomos – 836.988 de um total de 2.209.440 veículos cadastrados.

“Boa parte do território é carente em comunicação e não há 4G em todos os lugares. Mas hoje há ferramentas muito bem preparadas que ajudam em diversas necessidades, como localização em tempo real, registros de coletas e entregas, e informações em tempo real para o cliente”, pondera Galvan.

Hoje, já é possível contar, principalmente no mercado doméstico, com documentos eletrônicos de fiscalização e controles tais como; 

“Este último está em fase final e promete revolucionar o setor de transporte rodoviário, onde em uma única plataforma o motorista poderá unificar todos os documentos necessários para a fiscalização sem necessidade de carregar pilhas de documentos”, observa.

Documentos fiscais eletrônicos

Os documentos fiscais eletrônicos demandam a digitalização do processo logístico. Segundo Dexheimer, isso acelerou as operações e a automatização das operações, trazendo melhorias para as empresas de transporte e logística, além da redução de custos.

Em meados de 2019, a Sefaz publicou a regulamentação do evento de comprovação de entrega, atendendo a um pleito antigo das empresas do segmento.

Conforme o Gerente de Produtos e Negócios da Oobj, muitas empresas já possuíam o processo de confirmação de entrega de forma eletrônica por meio de aplicativos, mas não regulamentado pela secretaria da fazendo do seu estado e sem amparo legal.

“Com o evento, é possível fazer os controles da operação de entrega já existentes como geolocalização, dados do recebedor, data e hora e identificar quais foram entregues, tornando assim a confirmação de entrega padronizada e regulamentada”, explica Dexheimer.

Entre os benefícios, pode-se destacar a redução de custo significativa com armazenagem dos comprovantes que passam a ser digitais, acompanhamento da viagem em tempo real e gestão das entregas de forma mais eficiente com os dados em tempo real para tomada de decisão.

Digitalização do processo logístico: conheça os palestrantes

hegon digitalização do processo logísticoHegon Dexheimer – Gerente de Produtos e Negócios da Oobj – Tecnologia em Gestão Fiscal

Formado em Tecnologia da Informação pela Universidade Leonardo da Vinci, é pós-graduando em Marketing pelo IFSC e membro do Conselho Fiscal da Associação Brasileira de Tecnologia para o Comércio e Serviços (AFRAC).

Atua há mais de 17 anos com empresas de software para soluções focadas em B2C e B2B, sendo os últimos 11 anos desenvolvendo atividades para soluções fiscais nos segmentos de indústria, varejo, transporte e serviços.

juan digitalização do processo logísticoJuan Malo Galvan – Diretor de Novos Negócios da Interlink Cargo

Formado em Comércio Exterior pela Universidade John F. Kennedy (JFK/Buenos Aires), é Diretor de Novos Negócio da Interlink Cargo, empresa com base em Cachoeirinha (RS) e filiais e representações na Argentina, Uruguai, Chile, onde responde pelas estratégias de negocio da empresa.

Há mais de 20 anos na área de logística, já trabalhou para empresas como DM/GAFOR, onde desenvolveu atividades voltadas para a administração, negociação comercial e estruturas regionais do Sul do Brasil e exterior, como filiais em MG, SP, Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai.

Ainda teve passagem pela TransCaxias, onde foi responsável por funções de venda, prospecção de novos negócios e manutenção de contas.

vinicios digitalização do processo logísticoVinicios Fernandes – Diretor de Produtos e Desenvolvimento de Negócios da Repom

Engenheiro de Produção pela Universidade Vale do Rio dos Sinos, realizou cursos de MBA na Fundação Dom Cabral e “Business Development” pela HEC Paris.

Iniciou a carreira em 2004, na Empresa Brasileira de Tecnologia e Administração de Convênios HOM, onde passou pelos setores administrativo, operacional e de processos.

Em 2016, foi responsável por conduzir a unificação das áreas operacionais de duas empresas após uma Joint Venture, formando uma única operação Ticket Log – marca da Edenred Brasil.

Já em 2018, assumiu a Diretoria de Operações da empresa e, no ano seguinte, tornou-se Diretor de Produtos e Desenvolvimento de Negócios da Repom – marca do Grupo focada no mercado rodoviário de carga.

Conta com mais de 17 anos no setor de tecnologia com foco em soluções para o B2B2C, com larga experiência nos segmentos de serviços e transporte.

voltér digitalização do processo logísticoVoltér Luís Trein – CRO da eSales

Mais de 20 anos de experiência corporativa, sendo 15 deles na área comercial, atuando como vendedor, coordenador de negócios, gerente comercial e diretor comercial em empresas com atuação nacional e internacional, nas áreas de tecnologia, embalagens e bens de consumo.

Além disso, atua como investidor e mentor de startups através de iniciativas de Venture Capital. Possui formação superior na área de Gestão de Produção e MBA em Gestão Comercial.

É conhecido pela experiência consolidada em formação e gestão de times comerciais e parceiros de negócios, bem como pela estruturação de áreas de planejamento de produção, custos e qualidade, além de ter atuado como docente e ministrado cursos nas áreas de PCP.

Iniciativa Next Log lança pesquisa setorial sobre transportadoras brasileiras!

Sobre a Next Log

Next Log é uma iniciativa colaborativa que reúne empresas, pessoas e entidades interessadas em potencializar o segmento de transportes no Brasil com objetivo de promover o desenvolvimento e a eficiência do setor. Lançada no dia 20 de janeiro de 2021, ela é liderada pela uMov.me e eSales.

Buscamos juntos fomentar crescimento e oportunidades às empresas do segmento e aproveitar suas potencialidades por meio da colaboração abrangente em torno de conteúdo, serviços e construção de comunidade.

Acreditamos em união e colaboração e na transformação digital como catalisadores da evolução para o próximo nível das empresas de transporte.

Veja outros eventos da Next Log

Desde o lançamento em janeiro de 2021, a Next Log já promoveu diversos eventos sobre o segmento de logística, com temáticas que vão desde o protagonismo feminino na área até a importância da última milha.

Confira os eventos já realizados pelo projeto:

Assista ao webinário “A digitalização do processo logístico”:

Considerações sobre a digitalização do processo logístico

O especialistas alertam: para se manter relevante neste mercado, a digitalização do processo logístico é uma condição fundamental.

“A tecnologia vai ser uma necessidade para a competitividade. Quem quiser competir no mercado de logística vai ter que se digitalizar. Quem não chegar lá, vai ficar para trás, ficar mais caro e mais lento”, completa Fernandes. 

Esse é o principal motivo para impulsionar a transformação digital em empresas de logística. Tornar os processos mais rápidos e eficientes e menos custosos já está fazendo a diferença no mercado. 

Enquanto negócios com possibilidade de geolocalização, rastreamento e ampla comunicação têm se destacado nos ramos de logística e transporte, empresas com métodos mais tradicionais ficam cada vez mais afastadas da competitividade.

Para colaborar com o desenvolvimento do setor é que nasceu a Next Log. Vamos juntos para o próximo nível? Visite o site e confira os serviços e conteúdos disponíveis para transportadoras e operadores logísticos.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

confira mais conteúdos!

vamos conversar?

Preencha os dados abaixo e entenda os benefícios de um aplicativo customizado para seu negócio.

grarfismo_home