O desafio da gestão de PDV: veja como resolvê-lo

Funcionária fazendo a gestão de PDV através de aplicativo de gestão de equipes.
Funcionária fazendo a gestão de PDV através de aplicativo de gestão de equipes.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

Se manter atualizado com os novos comportamentos de compra é sempre um desafio que começa no ponto de venda (PDV), onde o cliente tem contato direto com os produtos e precisa decidir qual deles irá para seu carrinho – e isso acontece por vários motivos. 

Neste texto você verá como ter eficiência na gestão de PDV, levando sempre em consideração a experiência do consumidor.

Vamos conferir? Boa leitura!

O que é gestão de PDV e os principais desafios

Fazer a gestão de PDV nada mais é que organizar o ponto de venda para que ele esteja sempre atualizado, não falte produtos e atraia o cliente.

E para que isso seja possível, essa gestão precisa contemplar quatro pontos principais a serem trabalhados e constantemente aperfeiçoados:

  • Estoque de mercadorias;
  • Exposição de produtos;
  • Preços visíveis nos produtos e gôndolas; e
  • Atendimento antes, durante e depois da venda.

Consequentemente, são muitos os desafios ao se realizar a gestão de PDV e administrar equipes a distância torna tudo ainda mais complexo. No entanto, as dificuldades não representam uma ameaça para o negócio — desde que você tenha uma mente flexível para absorver conhecimentos e desenvolver novas habilidades.

Para começar, é importante fazer um planejamento para definir os canais de comunicação interna. Você pode cometer inúmeras falhas durante a sua liderança, mas a pior delas sempre será a falta de comunicação. Quando isso acontece, é como se uma pedra gigante bloqueasse a passagem da empresa em direção ao desenvolvimento.

Além disso, convém levar em consideração as ferramentas necessárias para fazer com que as atividades do grupo possam ser monitoradas. Outro ponto que deve ser colocado em prática é a conscientização. Os colaboradores precisam entender que a gestão de equipe de forma remota não significa uma alteração na estrutura do trabalho, mas uma evolução na forma de trabalhar.

Ter uma boa gestão de PDV não tem fórmula mágica, mas existem boas práticas

Além das ações de trade marketing no ponto de venda, existem boas práticas que o gestor do PDV precisa focar para ser mais assertivo na sua gestão.

Por isso vamos aos top 3 de boas práticas para a boa gestão no PDV:

1) Gestão do ambiente

Se utilizar dos cinco sentidos do consumidor é uma ótima prática. A principal delas é a atração visual, então tudo que envolve a aparência do ponto de venda precisa ser considerado aqui. Utilizar elementos, como: 

  • banners e cartazes em posições estratégicas; 
  • boa iluminação; 
  • exposição dos produtos; e 
  • até como o preço está sendo exposto.

Tanto a organização dos produtos no ponto de venda quanto como eles estão sendo apresentados ao consumidor são pontos importantes na gestão do ambiente. 

A disposição dos produtos precisa ser considerada de modo que o cliente consiga visualizar bem e ainda ter acesso a eles, assim podem avaliar ou até experimentá-los, dependendo da mercadoria. 

Luzes direcionadas em produtos especiais (como em descontos ou novidades) também são práticas comuns, apenas necessita um cuidado maior visto que alguns produtos perdem a validade mais rápido em ambientes mais quentes, por exemplo. 

Se fizer sentido para a marca, a gestão do ambiente ainda pode contar com gôndolas sustentáveis ou tecnológicas, assim tornará a marca mais atrativa para o consumidor.

O objetivo é atrair os olhares do cliente para um ambiente organizado e esteticamente bonito, o que ajuda a aumentar o tempo de permanência do consumidor no local, aumentando também as chances de ele comprar algo.

2) Atendimento

O ponto de venda não vive só de organização e ações estratégicas. 

O atendimento qualificado no PDV também conta na decisão de compra dos consumidores, visto que agora eles estão mais exigentes e preferem marcar alinhadas com seus desejos, valores e necessidades. 

A confiança (e quiçá a fidelidade) do consumidor é apenas conquistada com o respeito, conhecimento aprofundado e bom atendimento do promotor na hora da escolha da mercadoria.

Mais uma vez o trabalho do promotor de vendas é imprescindível nesta etapa, dessa vez pela capacitação bem planejada e feita por seus gestores e pela gestão dos mesmos.

3) Controle de estoque

Ir no supermercado pensando em comprar determinado produto e, quando chegar lá, não ter, você se vê diante de três situações: 

a) pedir para conferir o estoque;
b) desistir da compra ou
c) optar por um produto da concorrência. 

Nas 3 situações a marca sai perdendo (sendo o C o pior cenário deles). Isso porquê o consumidor se decepcionou e, talvez, para reconquistá-lo será mais difícil.

Por isso, o controle de estoque (e das gôndolas) precisa ser rigoroso, assim você evita a falta de produtos, deixa o estoque positivo e ainda auxilia na correção de falhas de dos promotores. 

Lembrando sempre que o excesso ou a falta de produtos em estoque representa uma perda de lucro para a empresa.

Outro detalhe que ajuda no dia a dia do gestor do PDV é a automatização dos processos de coleta de dados, garantindo uma agilidade para a tomada de decisões. Isso é feito por meio da tecnologia no formato de aplicativos que ajudam a acompanhar o posicionamento das gôndolas em tempo real, gerir equipes, realizar marcação de ponto e checklist de tarefas, entre outras opções.

O perfil do gestor de PDV também importa

Tarefas complexas estão presentes na rotina afiada de quem faz a gestão do PDV. Durante o dia de trabalho ele precisa estar a par de toda e qualquer informação sobre os pontos de venda (via promotores), organizar a equipe à distância e ainda mapear o desempenho dos produtos para tomar decisões concretas.

Este profissional terá todo o planejamento e metas da marca a mão para que possa orientar os promotores que estão nos locais de venda e, assim, alcançar resultados positivos de forma ágil e produtiva.

Ações de trade marketing são essenciais para a gestão de PDV

Ações e estratégias de trade marketing são fundamentais para o sucesso de vendas e, quando bem administradas, são capazes de promover o engajamento de cliente com a marca. 

Elas podem acontecer através  promotores de venda, que vale lembrar aqui: eles são os profissionais que possuem ferramentas para registrar as informações de vendas do pdv, estão presentes para registrar a aparência diária do local e ainda conseguem feedbacks importantes diretamente do consumidor.

Toda e qualquer estratégia que faça o cliente perceber a personalidade da empresa em cada mercadoria é válida e, por isso, o ponto de venda só gerará resultados se fizer sentido para a marca, sendo necessário que o local de exposição dos produtos esteja alinhado com os valores e metas do negócio. 

Isso quer dizer que não existe uma fórmula mágica para o sucesso e sim uma gestão de pdv que corresponda às expectativas do planejamento estratégico da organização.

Os benefícios da gestão de PDV com auxílio da tecnologia

Aprendemos até aqui que a gestão de PDV está totalmente conectada com várias ações e estratégias dos promotores no ponto de venda. Aliás, gerir uma equipe à distância e com eficiência não é fácil e a tecnologia auxilia nisso.

Nos tempos atuais é cada vez mais frequente a busca por soluções inovadoras na hora de gerenciar equipes. O uso de aplicativos móveis é uma alternativa que oferece redução de custos e, ao mesmo tempo, ganho de produtividade. 

Além disso, essa prática possibilita uma melhor coleta de informações no ponto de venda tão necessárias ao trade. 

A automatização dos processos é a grande facilitadora para a gestão de pdv, dando total foco no controle de informações e, assim, consequentemente, o melhor relacionamento com o consumidor final. 

Isso acontece porque todas as estratégias prévias estão interligadas – a coleta de dados de forma correta e ágil, o estoque positivo, a distribuição dos produtos de maneira adequada, o padrão de atendimento ao cliente – tudo isso para resultar em uma experiência agradável para o shopper e fidelizá-lo.

Como fazer a gestão de equipes a distância?

Hoje, é cada vez mais frequente a busca por soluções inovadoras na hora de fazer a gestão de equipes. O uso de aplicativos móveis é uma alternativa que oferece redução de custos e, ao mesmo tempo, ganho de produtividade.

Além disso, essa prática possibilita uma melhor coleta de informações no ponto de venda tão necessárias ao trade. Por meio do app de gestão de PDV, é possível acompanhar o posicionamento das gôndolas em tempo real, identificar os preços dos concorrentes, gerir equipes, realizar marcação de ponto e checklist de tarefas, entre outras opções.

O desafio da gestão de PDV: veja como resolvê-lo 1

Qual a importância de envio de dados do PDV?

A interação da equipe é essencial para o sucesso das ações do trade marketing. Ela precisa fazer a coleta e o envio dos dados do PDV para o gestor analisar em tempo hábil. Isso influencia diretamente todas as tomadas de decisões — presentes e futuras.

Uma das vantagens de usar soluções móveis é poder compartilhar informações com rapidez e eficiência sem precisar de infraestrutura: apenas o aparelho celular. Um app de gestão de PDV permite que os arquivos fiquem armazenados em nuvem, um sistema on-line que pode ser acessado por meio de diversos dispositivos, em qualquer hora ou lugar com uma conexão Wi-Fi.

Como o BI contribui para a gestão de PDV e equipes remotas

Administrar as equipes em campo é uma atividade difícil – e você já deve ter isso bem claro na sua cabeça. Sorte nossa que a tecnologia tem facilitado cada vez mais o dia a dia de quem precisa fazer a gestão de PDV a distância.

Já falamos algumas vezes sobre a Mobilidade Corporativa, isto é, o uso de dispositivos mobile no ambiente de trabalho. É exatamente esse conceito que facilitou a missão de realizar a gestão de equipes remotas.

A rápida popularização dos smartphones fez do equipamento algo comum — como vestir uma roupa — na rotina das pessoas. Isso torna o uso de aplicativos mais natural, inclusive no meio corporativo, e exige um tempo de treinamento mais enxuto.

Quanto mais dados, mais assertivo na gestão de PDV e suas equipes

Usar os recursos tecnológicos no ambiente trabalho também é requisito essencial para obter o máximo do processo de BI. Por isso, apesar de muitas empresas ainda não terem se dado conta, há uma demanda latente por apps corporativos, justamente para poder gerar informações para que as equipes encarregadas da inteligência de negócios tenham material para trabalhar.

Só que o grande volume de informações geradas pelos colaboradores em campo necessita de gestão e análise. É aí que entra o BI, processo para coleta, estruturação, análise e utilização dos dados de negócio.

Naturalmente, os colaboradores tendem a produzir diversas informações em seu contato diário com o campo de trabalho. Dados sobre o produtos, maquinários, solicitações de manutenção (entre tantos outros) podem ser enviados em tempo real para o gestor, a milhares de quilômetros de distância, a partir do celular ou tablet.

Tudo é feito por um aplicativo específico para a atividade e enviado para uma retaguarda, um painel acessível para o gerente pelo computador.

Esse processo é ideal não só para permear a estratégia e os rumos da empresa, mas também para adotar as melhores ações para as equipes, para os próprios colaboradores.

Usando o BI integrado com aplicativos para equipes externas

Na gestão de equipes externas, o BI e o uso de aplicativos nas operações e processos agrega ao tornar as atividades mais dinâmicas e assertivas.

Dinâmicas, pois permite correção rápida em processos que estejam morosos, ou ineficazes; assertivas, por possibilitar o aumento da convicção do gestor no relacionamento com cada colaborador.

Em alguns casos, os dados coletados pelo app de gestão de PDV permitem o intercâmbio de profissionais com melhor performance entre as equipes, para balancear os times.

BI e apps

Especificamente, o BI integrado aos aplicativos de gestão de PDV permite orientar equipes externas em tópicos como:

  • Assiduidade: muito útil para empresas que necessitam acompanhar as presenças de seus funcionários em campo, como para equipe técnica de manutenção e suporte, vistoriadores de seguros, agentes imobiliários, promotores de trade marketing e vendedores externos, entre outros. Com o BI, é possível visualizar os funcionários mais e menos assíduos e implementar melhorias.
  • Controle de despesas: organizações que reembolsam seus profissionais em campo por vezes têm dificuldade em controlar os gastos. Ao configurar as ferramentas de análise de BI, o painel pode oferecer informações valiosas para que o financeiro possa organizar as despesas e fazer planejamento orçamentário para os próximos itinerários. As informações também contribuem na hora de avaliar custos e cobrança pelos serviços prestados.
  • Roteirização: quais funcionários conseguiram visitar mais pontos durante o dia? Com informações sobre roteirização, obtidas a partir do GPS do dispositivo, acessado pelo app corporativo. Ao monitorar, é possível entender quais os gargalos impedem o colaborador de visitar mais locais durante o dia e até propor novos endereços em tempo real durante o dia, conforme a demanda.
  • Quadro de tarefas: as tarefas estipuladas para cada membro da equipe muitas vezes são de difícil controle. Ter conhecimento de quantas tarefas foram executadas e o tempo necessário para cada uma é algo que fica mais fácil com apps e BI. É possível estabelecer critérios a partir das tarefas distribuídas, para avaliar com precisão a produtividade e desempenho de cada colaborador.

O que é preciso para unir aplicativos com BI?

Em aplicativos desenvolvidos na plataforma uMov.me, é possível fazer integrações robustas para o BI. Disponível como módulo (quer dizer, deve ser integrado durante o desenvolvimento do app), o BI utilizado na plataforma é composto pela entrada de dados, a partir do aplicativo, e por painéis de gestão, conhecidos como retaguarda ou Dashboard.

O painel é acessível apenas ao gestor, analistas e supervisores, e pode ser configurado conforme a necessidade do cliente, para mostrar informações controle de check-in/check-out, despesas, tarefas executadas, entre outros.

Para unir ferramentas de BI com o app, é necessário que o criador do aplicativo realize a integração dentro da plataforma uMov.me. Com o BI integrado, também é preciso parametrizar, configurar, as métricas que o cliente precisa avaliar e validar em seu negócio.

É possível obter uma vasta gama de informações, a partir do cruzamento dos dados, desde que o painel esteja configurado corretamente e conforme às necessidades dos clientes.

Se você ainda não está convencido da facilidade de criar um app em nossa plataforma, então leia os 5 motivos para criar aplicativos com a uMov.me, disponível em nosso blog.

Mas se você quer entender mais sobre como funciona o BI integrado aos apps criados na uMov.me, preencha o formulário abaixo que um especialista entrará em contato e fará uma demonstração gratuita!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

Agende uma Demonstração Gratuita

Preencha os dados abaixo e confira como será o aplicativo da sua empresa.

dashboard-gerencial-app-umovme