Métodos ágeis no desenvolvimento de aplicativos e soluções mobile

metodologia ágil no desenvolvimento de apps

Metodologias ágeis estão presentes no dia a dia de programadores e desenvolvedores de softwares há muito tempo.

Os também chamados “métodos ágeis” têm o objetivo de tornar os processos em torno do desenvolvimento de software mais rápidos, como o nome diz. Mas o principal disso é que a qualidade do trabalho não deve ser colocada em risco.

As metodologias ágeis – em inglês conhecidas como Agile Software Development – foram criadas para suprir tanto uma necessidade, quanto para fugir do modelo de desenvolvimento tradicional.

O desenvolvimento de softwares precisou acompanhar o crescimento de indústrias e do mercado, cada vez mais competitivo, tecnológico e mutável.

Foi preciso que métodos de desenvolvimento fossem reavaliados ou criados, para suprir essa necessidade cada vez maior.

A história dos métodos ágeis, na realidade, acompanhou a história da popularização da computação, sua necessidade mercadológica e o crescimento da demanda.

Desde a década de 1990, que se observou a necessidade de uma revolução, no que dizia respeito ao desenvolvimento de softwares.

Todo o processo de criação e desenvolvimento de aplicações para computadores era bastante lenta, seguia inúmeros protocolos e regulamentações e era baseada em modelos burocráticos e de micro gerenciamento.

Isso tornava todo o processo engessado e pesado. E o desenvolvimento de novos softwares tornava-se desestimulante e pouco convidativo.

No ano de 2001, foi publicado o Agile Manifesto. Conhecido em português como Manifesto Ágil, ou Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software, declarava e se propunha a buscar formas melhores de desenvolver softwares.

Os valores fundamentais do Manifesto Ágil declaram que:

Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas.
Software em funcionamento mais que documentação abrangente.
Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos.
Responder a mudanças mais que seguir um plano.

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.”

O desejo era alcançar novamente o espírito do início da computação pessoal, onde o “feito era melhor que o perfeito”; a ideia de dar mais valor ao que está sendo realizado, em lugar de perder tempo com burocracias desnecessárias.

Atualmente, a tecnologia já avançou na direção das metodologias ágeis e o desenvolvimento de aplicativos e softwares não leva em consideração outros métodos além dos ágeis.

Quais as principais metodologias ágeis?

A escolha por uma metodologia ágil não se faz por comparação de qualidade, mas de necessidade.

Não existe uma metodologia que seja mais ágil, ou que entregue mais qualidade que outra. É preciso identificar aquela que melhor funciona na realidade da equipe de desenvolvimento, empresa responsável ou necessidade do cliente.

Existem diversas metodologias ágeis disponíveis. Abaixo, falaremos um pouco sobre as principais.

RAD – Rapid Application Development: talvez um dos mais antigos métodos ágeis, o Desenvolvimento Rápido de Aplicações foi criado na década de 1980. É dividido em três partes: requisitos, design, construção. O prazo de entrega pretendido é de 90 a 120 dias.

MSF – Microsoft Solutions Framework: um dos mais conhecidos e tradicionais métodos ágeis, pois foca em equipes menores, gera menos riscos para o projeto e busca o aumento de qualidade nos produtos desenvolvidos.

O foco do MSF é maior na gestão do projeto do que na própria aplicação ou software desenvolvido.

XP – Extreme Programming: um dos mais utilizados métodos, leva em consideração o cliente durante o processo de desenvolvimento. É baseado em pequenas entregas, desenvolvidas com o cliente, em períodos curtos, de uma a duas semanas.

As versões do software vão sendo entregues rapidamente, buscando uma intensa interação com o usuário. Métricas e indicadores vão medindo o progresso do trabalho e colaborando para o desenvolvimento do projeto, de maneira rápida e eficiente.

FDD – Feature Driven Development: desenvolvido por equipes de Cingapura, no final da década de 1990, o FDD é uma metodologia ágil versátil, que pode ser utilizada com outros métodos ágeis.

Seu foco está em mapear o projeto e dividi-lo em pequenas fases, permitindo dar mais agilidade ao desenvolvimento e a identificação de falhas.

SCRUM: o mais famoso método ágil utilizado atualmente, visto que seu uso vai além das equipes de desenvolvimento de software. Diversos tipos de projetos, de diferentes segmentos do mercado, podem utilizar o SCRUM como metodologia ágil.

O método de trabalho do SCRUM se dá em pequenos encontros de equipe, chamados de Sprints. Detalhes do produto final são divididas em tarefas a serem realizadas, com o objetivo de juntar as partes prontas, no final. Saiba mais, clicando aqui.

Dificuldades de implementação dos métodos ágeis

É impossível qualquer metodologia ágil estar livre de erros. Seu objetivo principal é eliminá-los, no menor tempo possível. Mas nem sempre isso é possível.

O pensamento ágil, que forma a base de todo e qualquer método ágil, leva em consideração alguns obstáculos que podem surgir durante um processo de desenvolvimento de software: pessoas, tempo, funcionalidades, orçamento e recursos.

Uma metodologia ágil deve levar cada um desses pontos em consideração, buscando eliminá-los ou diminuí-los ao máximo, de modo a não comprometer os resultados pretendidos com o projeto de desenvolvimento da aplicação.

Soluções para facilitar o desenvolvimento de apps

Com o uso de metodologias ágeis, já é possível desenvolver apps de modo satisfatório e com qualidade.

Assim como o mercado viu a necessidade da criação de métodos, com foco na velocidade de entrega de produtos, hoje busca-se o auxílio de ferramentas e soluções que tornem essa espera ainda menor.

Uma das soluções foram as low-code plataforms, plataformas para criação e desenvolvimento de aplicativos que pudessem atender a diferentes sistemas.

Tendência para um futuro próximo, a low-code plataform se caracteriza por permitir criar apps sem a necessidade de conhecimento profundo de programação.

Geralmente, elas são específicas para uma necessidade, ou resolvem o problema de um ou mais nichos.

Os chamados MCAP – Mobile Consumer Apllication Platform, são low-code plataforms que permitem aos desenvolvedores produzir aplicativos para usuários de diferentes dispositivos e sistemas operacionais.

Já as plataformas MEAP – Mobile Enterprise Application Platform têm o mesmo objetivo, mas com foco em aplicativos empresariais e corporativos.

Plataformas MEAP trazem a possibilidade de criar apps que simplificam fluxos de tarefas e no gerenciamento da força de trabalho, de maneira prática e rápida. Elas trazem funcionalidades que facilitam o planejamento e execução do desenvolvimento mobile.

Plataformas para agilizar o desenvolvimento

Fazer uso de metodologias ágeis no desenvolvimento de aplicativos pode trazer inúmeros resultados positivos, como velocidade e economia de tempo e de recursos, sejam eles humanos ou financeiros.

Mas é importante estar atento e buscar soluções que auxiliem o projeto de desenvolvimento, tornando-o ainda mais assertivo, rápido e eficaz.

Plataformas para criação e desenvolvimento de apps, como a plataforma MEAP, pode trazer resultados surpreendentes para sua equipe e seus clientes. Para saber mais e ver como a uMov.me pode auxiliar, entre em contato conosco e conheça nossas soluções.

E para você que deseja conhecer um pouco mais sobre o desenvolvimento de apps corporativos, disponibilizamos o ebook Novo Programador. Nele, mostramos como tornar-se um profissional atual, pertinente ao mercado de desenvolvimento de apps.

Você que já pensou em aderir ao desenvolvimento de aplicativos, através de plataformas, oferecemos esse eBook gratuitamente. Clique aqui e baixe o seu!