O papel da logística no pós pandemia

o papel da logística
o papel da logística
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

Em 13 de outubro de 2020 a Tecnologística, apresentou o webinário “o papel da logística e como as empresas e os operadores logísticos estão se preparando para o pós-pandemia”.

O painel conta com a moderação do economista e professor Paulo Roberto Guedes e participação de Jhonny Ivanyi, responsável pela estrutura global de distribuição da divisão Bayer Crop Science nos EUA; André Alarcon de Almeida Prado, CEO do Grupo BBM; Mauro Friedrich Arezzo, diretor de logística da Arezzo&Co.

O desafio e a oportunidade do momento

A pandemia está afetando e afetará por muito tempo o mundo todo. Para muitas pessoas isso se transforma em um grande desafio, mas para outras se torna em um grave problema. É o que pensa Paulo Roberto Guedes.

O economista e professor traz para o painel alguns dados de pesquisas que demonstram que as novas gerações se preocupam muito mais com o todo e, a grande maioria dos consumidores, gostariam de comprar das empresas que dessem atenção às mesmas causas com as quais eles participam e se engajam.

Além disso, os investimentos em empresas que adotam boas práticas sociais, ambientais e governança corporativa têm cada vez mais adeptos. Inclusive, isso é uma exigência de muitos investidores.

Para Paulo Roberto Guedes, na logística esse pensamento não vai ser diferente. Os usuários, operadores logísticos e responsáveis pela infraestrutura e desenvolvimento tecnológico, além de precisarem entender o que acontece no mundo e em todos os segmentos da atividade humana, também precisam compreender o que está acontecendo no seu mercado específico.

Mesmo com um alto grau de incertezas, as cadeias de abastecimento do futuro precisarão ser mais resilientes, eficazes e terão que respeitar a natureza, o meio ambiente e acima de tudo o ser humano. Segundo o economista e professor, esse é o grande desafio e a grande oportunidade do momento.

O papel da logística com os públicos

Ao ser questionado se a Bayer está preocupada com a segurança para com os empregados, clientes e fornecedores, Jhonny Ivanyi relata que a empresa está tomando todos os cuidados.

A Bayer contratou uma empresa para saber quais as melhores práticas de trabalho dentro dos armazéns, com os motoristas e outros. Essas práticas estão sendo distribuídas de maneira global e regional. Ou seja, nesse contexto o papel da logística está sendo cuidar dos funcionários dentro da empresa e também fora dela.

Jhonny ainda comenta que a empresa está em um processo de transição cultural, criando uma nova cultura dentro da organização. Cerca de 80% dos funcionários do Grupo Bayer está trabalhando em modelo home office e os líderes já estão pensando em adaptar um sistema híbrido para que as pessoas só precisem ir à empresa caso necessário.

Logística para os novos desafios

O diretor de logística da Arezzo&Co, Mauro Arezzo, afirma que a pandemia causou um avanço no consumidor que passou a ser um expert em entregas, prazos, análise de qualidade e de fornecimento.

A Arezzo&Co já vinha há algum tempo pensando na estratégia de omnichannel, para que o consumidor pudesse ter uma ótima experiência de compra em qualquer canal. O cenário posto mostra que o consumidor passou a ter a capacidade de definição de valor mais própria e a ter um olhar mais técnico, comenta Mauro.

Como se preparar para atender esse consumidor? “Dar a ele todas as alternativas possíveis, com as melhores experiências, para encantá-lo em todos os canais. Aí está o grande desafio! Não podemos criar uma competição entre canais, eles precisam ser eficientes.”

A logística tem um grande desafio para atender essa estratégia omnichannel de maneira mais homogênea. É preciso estudar bem como fazer o encantamento do cliente e garantir um suporte perfeito em caso de qualquer tipo de descontentamento.

“Hoje não existe mais logística sem tecnologia. Um bom aparato tecnológico é vital para este momento”. Mauro Friedrich Arezzo.

Questionado se a logística é um grande gargalo nas compras via internet, Mauro salienta que os desafios são 50% da tecnologia, que precisa de fato ser boa e 50% da logística em geral, pois o Brasil ainda tem muitos problemas em questões de estruturas e processos que precisam ser resolvidos. 

Leia também: Tecnologia em logística: como um app pode transformar seu negócio?

O papel da logística na sustentabilidade

Uma das grandes questões do painel é se as alternativas logísticas a serem privilegiadas neste momento e também daqui pra frente seriam as que mais protegem as pessoas, o meio ambiente e a sustentabilidade, mesmo que essas não sejam as mais econômicas.

André Alarcon destaca a importância desse ponto e comenta que as transportadoras devem pensar em levar mais cargas rodando menos.

“É preciso otimizar rotas! À medida que se diminui o km percorrido, se afeta diretamente o consumo de carbono.” André Alarcon de Almeida Prado.

O Grupo BBM é a primeira empresa do Brasil que pode ser chamada de “end to end”. Isso quer dizer que, desde a matéria prima até o cliente final, há um atendimento para toda a cadeia logística, que deve ser otimizada como um todo. Além disso, a empresa tem uma proposta omnichannel para atender o cliente da melhor forma possível.

Há muito mais para saber! Assista ao webinário completo:

Além disso, quer saber mais como a tecnologia pode auxiliar seus processos logísticos? Conheça o app de logística da uMov.me!

app logística

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

Agende uma Demonstração Gratuita

Preencha os dados abaixo e confira como será o aplicativo da sua empresa.

dashboard-gerencial-app-umovme