No Scale Up 2018, uMov.me busca crescer para inovar cada vez mais e melhor

scale up

FOTO: ENDEAVOR/ENDEAVOR/DIVULGAÇÃO/JC

Pelo segundo ano consecutivo, a uMov.me foi selecionada para participar do Scale Up, programa realizado pelo Endeavor Brasil, com o intuito de acelerar o crescimento de 16 empresas gaúchas com maior potencial de crescimento em diversas áreas.

Conforme Eduardo Afonso, gestor do Scale Up da Endeavor Brasil, o objetivo é buscar o empreendedor que tem potencial para ser um “transformador” dentro do seu mercado.

“Não pensamos só na pessoa que gera emprego e resolve um problema, e sim em empreendedores que busquem o papel de protagonista. Que invistam e que inspiram. Que queiram crescer e multiplicar-se porta afora. O objetivo é investir em start up assim, como a uMov.me”, conta Afonso.

Crescer da melhor forma, ter um produto maduro e buscar o crescimento que o mercado exige. Este é o pensamento da uMov.me quando olha para o presente e mira o futuro.

O Scale Up como potencializador da uMov.Me

Escolhida em 2017 pela Endeavor Brasil como uma das empresas mais promissoras, a uMov.Me acredita que teve enorme aprendizado com o evento que passou. Porém, conforme o CEO da empresa, Alexandre Trevisan, a consciência é de que ainda há muito por vir para crescer e ser cada vez mais referência em aplicativos empresariais.

“Foi uma oportunidade muito relevante para nós, porque toda a estrutura de mentoria e acompanhamento pela rede Endeavor Brasil foi extremamente qualificada e ajudaram muito a fazermos as reflexões que a companhia precisava em relação a oportunidade de mercado”, afirma.

A uMov.me tem, na sua essência, o estímulo ao empreendedorismo de seus parceiros, dando autonomia para o crescimento, sempre tendo a tecnologia como aliada. Mirando o futuro, Trevisan acredita que cada vez mais a empresa buscará a excelência no seu serviço.

“Buscamos cada vez mais que o nosso produto esteja maduro, pois temos um mercado com desejo forte de soluções como a nossa, com um modelo para abrigar as duas pontas”, reforça.

A uMov.me novamente entre as empresas com maior potencial no Rio Grande do Sul

Estar no Scale Up Brasil pelo segundo ano consecutivo é, sem sombra de dúvidas, a certeza de que a uMov.me trilha o caminho correto. Segundo Afonso, o critério para a Endeavor Brasil investir em start up é bastante rígido, o que faz da uMov.me um case recorrente de sucesso.

“O Scale Up é um programa que roda a nível de Brasil apoiando cerca de 250 empresas por ano, cerca de 15 startups por evento, em média”, conta.

Para o programa deste ano, a uMov.Me mais uma vez superou uma grande concorrência para se sobressair. “Começamos com centenas e centenas de empresas analisadas até chegarmos nos nomes das finalistas”, complementa Afonso.

A constante atualização que a uMov.Me sempre busca para atender cada vez mais e melhor os seus parceiros vai ao encontro do que Trevisan planeja para a empresa ao longo dos próximos anos. E, claro, a mentoria proposta pelo Scale Up ajudou a pavimentar esses objetivos.

“Com um produto maduro, com muitos impactos positivos a partir da mentoria, dobramos o ticket médio da empresa em relação ao ano passado. Com os desafios propostos pelos mentores, fizemos um ajuste de rumo que nos ajudou a crescer e amadurecer cada vez mais”, revela.

Olhos para o futuro, sempre. Crescer de maneira organizada. Esse é o objetivo. É o que vem pela frente para a uMov.Me.

“Estamos sempre indo em busca do que o mercado oferece. O nosso mercado, B2B, é grande, as empresas de porte médio para cima estão trabalhando hoje com as soluções que a uMov.Me oferece“, comenta.

“Este é o nosso desafio, aproveitar o momento do mercado e ser cada vez melhores”, encerra.

Como será a participação da uMov.me no Scale Up 2018

Referência em mobilidade corporativa, a uMov.Me, assim como em 2017, participa desde o começo do programa. Como conta Afonso, são sete meses de muito trabalho ajudando nas “dores do crescimento” das empresas com alto potencial.

“A Endeavor Brasil se especializou em empresas com alto potencial de crescimento. Então, ajudamos elas com as ‘dores do crescimento’, com especialistas que doam seu conhecimento e dinheiro”, revela.

“Assim, com empreendedores como mentor, ao longo de sete meses, queremos criar uma conexão entre as empresas. Criar uma comunidade, uma ‘máfia do bem'”, brinca, para, em seguida, concluir. “Portanto, no começo do programa, identificamos o padrinho que melhor se encaixa com a uMov.Me”.