5 insights de André Caldas sobre o uso de tecnologia em diferentes setores

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

Confira os insights de André Caldas durante sua participação no uMov.me xChange, evento para quem faz parte do ecossistema colaborativo.

Com o avanço da digitalização das empresas, a tecnologia corporativa está presente em todos os setores, desde o mercado financeiro, econômico e de saúde no Brasil.

André Caldas compareceu à primeira edição do uMov.me xChange e dividiu conosco como a tecnologia está impactando diversos segmentos.

Conheça André Caldas

5 insights de André Caldas sobre o uso de tecnologia em diferentes setores 1

André Caldas, formado em Ciência da Computação, é especialista em mercado financeiro e foi eleito o melhor gestor de fundos de ações do país em 2018, de acordo com a Revista Exame.

Mesmo sendo formado em outra área, André se afastou da tecnologia para se focar no mercado financeiro, se destacando por suas passagens em grandes empresas como Itaú Unibanco e Credit Suisse.

Em sua participação no uMov.me xChange, Caldas apresentou sua perspectiva como especialista financeiro sobre tecnologia em diferentes segmentos corporativos. Confira seus 5 insights que destacamos:

Top 5 insights de André Caldas sobre o mercado financeiro e tecnologia

O mundo está numa mudança muito grande, essa questão da tecnologia hoje podemos perceber em todos os negócios. As empresas que investimos na bolsa só falam de digitalização”, afirma André.

1) A tecnologia como facilitadora em diversos segmentos

O mercado de trabalho em geral está em constante evolução, principalmente por causa das novas tecnologias e como elas impactam a sociedade como um todo, fazendo com que setores tradicionais como financeiro e medicina, por exemplo, sejam áreas diretamente impactadas.

E isso pode ser confirmado pela pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária, realizada pela Deloitte, que comparou os dados obtidos nos anos de 2018 e 2019 e identificou um aumento de 48% de um período para o outro. Detalhe: a maior parte dos investimentos são em software, 54% do total.

Só para comprovar um pouco mais sobre o impacto da tecnologia no mercado financeiro: em outra pesquisa de 2020 (referente ao ano de 2019), a FEBRABAN de Tecnologia Bancária afirma que orçamento dos bancos para tecnologia cresceu 24% em 2019, em comparação a 2018, destacando o crescimento de 48% em investimentos.

Além disso, ainda de acordo com a pesquisa, os bancos tiveram um aumento de 48% dos investimentos em tecnologia, utilizados tanto por software, como por hardware.

Vamos pegar um exemplo mais real para analisar: o setor financeiro.

As últimas décadas foram de intensa mudança para o setor financeiro, como a digitalização de processos em bancos, internet banking, contratação de empréstimos, automação de pagamentos, PIX e muitas outras funcionalidades já são oferecidas por bancos em suas contas digitais.

Um dos pontos que Caldas mencionou foi sobre a oportunidade que a tecnologia atual oferece para o mercado financeiro: agora é possível que empresas sejam o próprio financiador de seus clientes, podendo trabalhar “com cartões, com débito e com coisas que antes pertenciam somente aos bancos”, disse Caldas.

2) A área de tecnologia na medicina é o grande segmento em destaque na pandemia

Se a área de tecnologia cresceu no meio de uma pandemia, a parte de saúde também teve um alto volume de demanda.

Durante o papo, Caldas menciona que o investimento da medicina em tecnologia tem muita relação com o momento de pandemia dos últimos meses.

Te explicamos: por causa da pandemia causada pelo coronavírus, o acesso do paciente ao profissional de saúde teve que ser facilitado – de acordo com o Diário Oficial da União a Portaria nº 467, desde março de 2020 o Ministério da Saúde liberou as teleconsultas em todo Brasil.

Essas são as 3 modalidades de teleconsulta atualmente, acordo com a Portaria nº 467:

  • Teleorientação: permite atendimento médico a distância para orientação e encaminhamento de pacientes em isolamento;
  • Telemonitoramento: possibilita que, sob supervisão ou orientação médicas, sejam monitorados a distância parâmetros de saúde e/ou doença; 
  • Teleinterconsulta: permite a troca de informações e opiniões exclusivamente entre médicos, para auxílio diagnóstico ou terapêutico.

O uso da tecnologia na saúde vai além da robótica na medicina: a digitalização de processos também abrange os “planos de saúde, em prevenção e em ter uma qualidade melhor de vida”, de acordo com Caldas.

3) A vacinação é um propulsor da economia

Levando em consideração a crise econômica como consequência do Covid-19 e a lenta vacinação contra o Covid-19 Brasil afora são aspectos em destaque no primeiro trimestre de 2021, é notável o quanto esses dois temas estão diretamente conectados.

A explicação para esse paradoxo é a seguinte: enquanto é necessário que a população retome o trabalho presencial, isso só é possível com a vacinação em massa da sociedade. E a vacinação em massa só é possível com o isolamento social até que todos estejam imunizados.

Além disso, a vacinação impacta diretamente na qualidade de vida da população, que, após sua imunização, poderá voltar a consumir como na época pré-pandemia.

Outro elemento que não podemos esquecer é a questão do desemprego no Brasil, que em 2020 atingiu a marca de 13,4 milhões de pessoas e, para essas pessoas, é necessário um auxílio emergencial.

Você consegue entender que tudo isso faz parte de uma bola de neve que conecta a vacinação e a economia?

Mesmo assim, Caldas relatou que, conforme um relatório do Branco Central do Brasil, “o mercado espera que o PIB cresça 3.5%, uma pequena alta de juros (taxa selic de 2%), inflação e dólar um pouco menores”.

4) Tecnologia 5G

Durante a pandemia, o teletrabalho foi um dos aspectos mais relevantes. Da mesma forma, a qualidade da internet no Brasil também se tornou outro ponto importante para os negócios neste período.

As estatísticas mostram que o trabalho de casa pode ser mais produtivo, mas a preocupação com uma boa conexão ainda persiste.

E aí entra a internet móvel de quinta geração, também conhecida como 5G, se tornando um dos temas com maior expectativa para o mercado financeiro – e você, seja pessoa física ou jurídica, pode ser afetado também.

Se você se pergunta como isso impacta a sociedade em geral, a resposta é: com a velocidade da internet

Quanto mais rápida, maior o auxílio na implementação de inteligência artificial, internet das coisas e big data, além de possibilitar a automatização de diferentes setores.

O debate com essa questão já não é de hoje e está longe de acabar. No entanto, a Agência Nacional de Telecomunicações prevê o leilão do 5G para o 1º semestre de 2021.

5) Cibersegurança

A pandemia acelerou a digitalização das empresas (sendo o teletrabalho um exemplo) e, com isso, o cuidado com as informações das empresas na nuvem está se expandindo cada vez mais.

Caldas explica que “o crescimento explosivo de informações que deixamos na nuvem ou nas empresas começa a ter risco exponencial de acesso aos nossos dados.”

No mundo corporativo, a pesquisa global The State of Cloud Security 2020 alerta que quase 70% das organizações mundiais passaram por incidentes de segurança cibernética na nuvem pública em 2019.

Ainda de acordo com o estudo, 96% das organizações estão “preocupadas com seu nível atual de segurança na nuvem”.

Em contrapartida, acredita-se que as empresas estão mudando sua estratégia cibernética e investindo mais em segurança da informação. A pesquisa Global Digital Trust Insight 2021, mostra que 57% das empresas brasileiras aumentaram seu orçamento cibernético, enquanto no mundo inteiro são 55% das companhias.

Sobre o uMov.me xChange

Já imaginou se todas as empresas colaborassem umas com as outras para o bem da comunidade? O projeto uMov.me xChange traz essa premissa em seu propósito, com eventos organizados pela uMov.me e abertos ao público.

Para que as pessoas tenham mais consciência da importância da colaboração no mercado de trabalho, a ideia do uMov.me xChange é compartilhar conhecimentos em diferentes segmentos.

A primeira edição do uMov.me xChange aconteceu no dia 4 de fevereiro de 2020 e reuniu personalidades de diferentes segmentos: 

  • André Caldas, especialista financeiro com passagens pelo Itaú Unibanco e Credit Suisse; 
  • Yara Senger, fundadora do The Developer’s Conference;
  • Marcelo Lacerda, cofundador da Magnopus e de empresas como Terra Networks, Agência F.biz e Blue Interactive Telecom.

Leia mais sobre o evento uMov.me xChange clicando aqui.

5 insights de André Caldas sobre o uso de tecnologia em diferentes setores 2

Sobre a uMov.me

A uMov.me é líder nacional em criação de aplicativos no-code para empresas. O propósito da companhia é criar soluções inspiradas no negócio do cliente, sendo customizadas de acordo com as necessidades da companhia.

A plataforma uMov.me atende segmentos de força de vendas, trade marketing, logística, serviços e facilities. Desde 2011, a uMov.me já atendeu mais de 10 mil empresas e criou mais de 26 mil aplicativos, com aproximadamente 295 mil usuários.

Confira também

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter

confira mais conteúdos!

vamos conversar?

Preencha os dados abaixo e entenda os benefícios de um aplicativo customizado para seu negócio.

grarfismo_home