Experiência do usuário: o que é, como otimizar e por que é importante?

O que é experiência do usuário?

A experiência do usuário é uma prioridade dentro da sua empresa?

Muitas empresas agora estão voltando a atenção aos aplicativos, tanto para para conquistar seus clientes, como também motivar os funcionários.

Os apps corporativos são uma ótima ferramenta de engajamento dos clientes e de aumento do moral da equipe.

Contudo, muitas vezes, apesar do investimento no desenvolvimento da solução, esses apps não pegam tração e se tornam um projeto naufragado.

Você oferece um produto muito bom e um serviço que muita gente precisa, mas ainda assim não consegue vender e reter usuários da forma que gostaria.

Sabia que o problema pode estar na experiência que a sua empresa proporciona ao usuário – seja ele interno ou externo?

A experiência dele pode ser o grande diferencial da sua empresa em relação à concorrência. E isso faz toda a diferença na retenção de clientes, sabia?

Por isso, neste artigo, falaremos sobre o que é experiência do usuário, o chamado UX. Abordaremos também UI – o que é e qual sua importância em todo esse processo.

Saiba também como a experiência do usuário pode ser aplicada, otimizada e em que área e segmentos e isso ocorre de maneira mais assertiva.

Ao final, esperamos que você possa propiciar, tanto para os usuários internos (colaboradores), como externos (clientes) a melhor experiência possível.

Vamos conferir tudo isso?

Boa leitura!

O que é experiência do usuário(UX)? E o que é UI?

Experiência do usuário, o que é?

Sigla em inglês para User Experience (experiência do usuário). É o processo de aumentar a satisfação do usuário final com um produto, otimizando a usabilidade e aumentando a satisfação no momento de interação com o aplicativo.

O design da experiência do usuário abrange o design tradicional de interação homem e máquina, mas também vai além e aborda todos os aspectos de como um produto é percebido pelas pessoas que fazem seu uso.

UX abrange elementos de design de interação, arquitetura da informação, pesquisa do usuário e outras áreas que possam impactar a experiência geral entre o usuário final e o aplicativo.

Já User Interface (UI), ou, simplesmente, interface de usuário, é o espaço em que as interações entre o usuário e um produto ocorrem. Tem como objetivo produzir um sistema agradável e que facilmente possa ser usado.

Isso geralmente significa que o usuário tenha a menor dificuldade possível em operar o produto para alcançar a saída desejada e que o produto, por sua vez, minimize as fontes de distrações e falhas.

UI abrange tudo que está no front end, ou seja, aquilo que é perceptível visualmente para o usuário. Por exemplo: um botão, um menu, uma barra de volume ou até mesmo um efeito visual.

Como o UI impacta no UX?

Historicamente, o UI tem um objetivo mais prático, levando em consideração não só o usuário, mas também a capacidade de resposta do produto em si.

Já o UX mantém o foco em garantir uma boa experiência e a satisfação do usuário final.

Contudo, um não pode caminhar sem o outro! Um dos pontos fundamentais quando falamos de diversos produtos, como aplicativos de mobilidade, é exatamente a usabilidade.

A usabilidade é a extensão em que um produto pode ser manuseado por usuários especificados para atingir metas predeterminadas com eficácia, eficiência e satisfação. Ou seja, é um ponto importante para garantir a boa experiência do usuário e está diretamente ligada com a forma como ele se relaciona com o produto.

Para garantir uma boa experiência ao usuário é fundamental que a interface opere de maneira eficaz e com diversos elementos que proporcionam a satisfação final?

Afinal, quem nunca se deparou com um aplicativo que, na teoria, oferecia a solução perfeita só que era tão difícil para se usar que não valia a pena perder tempo com ele?

Não deixe o app morrer, não deixe o app acabar…

Quando o aplicativo é de uso pessoal, a tendência é o usuário começar a ignorar a existência daquele app ou trocar o uso dele por outro com uma melhor usabilidade.

Mas ele não pode fazer o mesmo com apps corporativos. Então, o que deveria ser uma forma de facilitar a rotina profissional se torna uma fonte de frustração para o funcionário por conta de falhas no planejamento e na execução da UX e UI.

O colaborador precisa reconhecer o app corporativo como um importante aliado, uma ferramenta fundamental para melhorar o seu desempenho profissional — e não como um empecilho.

Uma boa usabilidade é fundamental para que essa ferramenta consiga cumprir seus objetivos. Ele serve para dar mais agilidade para o colaborador, impactando assim sua produtividade e o auxiliando na automatização de processos.

Não importa o quão boa seja a solução oferecida, o valor de um aplicativo, seja ele de uso pessoal ou corporativo — ele só será reconhecido se tiver uma boa usabilidade.

O impacto de otimizar a experiência do usuário corporativo

Impacto da experiência do usuário

Você sabia que, de acordo com uma pesquisa divulgada pela gigante da tecnologia Google, a cada cinco aplicativos de consumo instalados nos celulares, um passa a não ser mais utilizado pelo usuário e acaba sendo esquecido?

É o fenômeno conhecido como app-nésia.

Esses números podem ser ainda maiores quando falamos em apps corporativos. E os maiores culpados na maioria dos casos são os problemas de UX ou UI.

Negligenciar a experiência do usuário é algo que pode complicar e muito a saúde das empresas a médio e longo prazo.

Isso porque:

Experiência do usuário em app corporativo é fator competitivo

Como manter a equipe engajada no uso do aplicativo? Qual o motivo de os funcionários terem dificuldade ou resistência ao uso dele? A resposta para ambas as questões provavelmente está na experiência do usuário.

Um app corporativo que deseja engajar os funcionários deve investir em uma boa experiência, da mesma forma que ocorre nos apps de consumo e serviços.

A boa experiência do usuário gera satisfação, fidelidade e economia.

Um app corporativo que é capaz de oferecer muitos recursos, mas que apresenta falhas de usabilidade é um investimento que não vai trazer nenhum retorno ao seu negócio.

Por isso, é fundamental oferecer uma experiência do usuário satisfatória para determinar os melhores caminhos para o funcionamento da sua solução.

App-nésia também ocorre para usuários corporativos

Experiência do usuário: app-nésia

Apps corporativos, muitas vezes, trazem funções essenciais ao desenvolvimento do trabalho, e por isso não podem simplesmente ser abandonados pelos funcionários.

Eles passarão a usar o mínimo apenas para não entrarem em conflito com os gerentes.

Agora, imagine se o usuário corporativo tiver acesso a um app intuitivo e de fácil usabilidade. A tendência é que passe a usar cada vez mais a ferramenta, fique mais motivado e tenha o seu trabalho otimizado. Certo?

O app corporativo deve ser uma fonte de soluções e não de frustrações para a equipe.

Engajamento e motivação com investimentos em experiência do usuário

A experiência do usuário precisa ser envolvente. Dê à equipe uma razão para continuar a usar o aplicativo. Uma forma é usar as notificações de envio de forma inteligente para trazer engajamento sem prejudicar a experiência.

Você pode usá-las para enviar lembretes aos funcionários sobre novos produtos ou serviços. Ou então felicitações por uma tarefa bem executada ou para informar algum funcionário que ele está muito próximo de alcançar uma meta no programa de premiações.

Assim como qualquer aplicativo, os apps corporativos precisam ser monitorados em relação aos principais indicadores de desempenho.

Certifique-se sempre de que a usabilidade está fluida e se a equipe consegue alcançar com facilidade seus objetivos ao abrir a ferramenta.

Use os insights adquiridos com os dados de seu aplicativo, assim como o feedback de sua equipe, para garantir que a experiência do usuário esteja satisfatória.

Caso não estiver, não tenha medo de realizar as alterações necessárias. Medir, testar e melhorar sempre e repetidamente deve ser o seu lema.

A chamada transformação digital pode ser uma maneira fantástica de engajar e de motivar a equipe.

Contudo, para obter o melhor dessa estratégia, como você conferiu, é preciso investir na experiência do usuário. Se ela não for satisfatória, o funcionário aos poucos vai se frustrar e acabará por abandonar o uso do aplicativo.

Experiência do usuário para a força de vendas

Experiência do usuário para força de vendas

O impacto é o mais positivo possível para a sua empresa quando essa experiência é otimizada. Alguns deles são:

  1. Aumento das vendas

Uma agência sueca realizou uma pesquisa e constatou que melhorar a experiência do usuário conseguiu aumento das vendas em cerca de 40%.

  1. Maior mobilidade

O uso de aplicativos para forças de vendas proporciona maior mobilidade à sua equipe, otimizando os processos de logística e venda. Isso porque é possível coletar, fornecer, alterar e pesquisar informações sobre os clientes em qualquer momento.

Além disso, garante o pagamento de reembolso corporativo de maneira muito mais ágil.

  1. Custo de vendas menor

Ao utilizar os aplicativos, o custo de venda tende a diminuir, pois os processos ficam mais automatizados, delimitados e com pouca interferência humana.

Quando o vendedor inclui uma venda no aplicativo, todos os departamentos são acionados – estoque, financeiro, produção e logística. Dessa forma, a empresa pode reduzir o custo de venda dos produtos para melhor atender aos seus clientes.

Vários fatores deverão ser trabalhados aqui: como o usuário (seu funcionário/representante) pode usar o app, em quais processos e em qual momento da venda.

Assim, para melhorar a experiência do usuário é preciso pensar em todas as necessidades que o app pode suprir na vida do vendedor externo. É preciso se colocar no lugar dele.

Ao contratar um aplicativo para sua força de vendas, o empreendedor terá maior vantagem competitiva em relação a concorrência. Isso porque é possível ter mais informações armazenadas em menor tempo.

Além disso, é possível melhorar o atendimento e ter maior agilidade na execução dos processo internos. O vendedor consegue no momento do atendimento, anotar o pedido online, verificar inventário de estoque e fechar a venda.

E, claro, garantir um pagamento de comissão de vendas assertivo. Desta forma, o empreendedor terá um controle maior sobre o desempenho da sua equipe e suas operações.

Funcionalidades que melhoram a experiência do colaborador na hora da venda

  1. Deixe tudo mais simples

Quando mais simples for a experiência, melhor. As pessoas não têm muito tempo e gostam e interfaces práticas e intuitivas. Isso também vale para seu colaborador, seu vendedor. O ideal é que, com o projeto todo pronto, você chame alguém da equipe, que não entende do assunto, para testar. Ela conseguirá identificar quais serão as maiores dificuldades do usuário.

  1. Aprimore cada vez mais

Não adianta, você não vai conseguir, logo na primeira tentativa, colocar no projeto tudo o que o usuário (o colaborador) deseja. Isso demanda tempo e investigação. Assim, vá aprimorando a interface, descobrindo os pontos críticos para que eles sejam modificados e melhorados. Estar sempre inovando para melhorar a experiência é uma necessidade.

  1. Tenha um canal de comunicação

É muito importante que haja um canal de comunicação entre a equipe e a empresa. A força de vendas pode oferecer informações valiosas como feedbacks e ajuda para identificar onde estão os erros.

Dessa forma, fica bem mais fácil mostrar o valor de usar o app na rotina de vendas da empresa e oferecer o melhor serviço possível! O seu processo de vendas agradece.

Experiência do usuário para trade marketing

Trade marketing e a experiência do usuário

Há diversos motivos para que a experiência do usuário não seja adequada. Pode ser a interface mal-trabalhada, aplicativos lentos, navegabilidade ruim, e dificuldade para encontrar funções.

E esses não são apenas desafios para colaboradores mais velhos e menos experientes com o uso da tecnologia.

No Trade Marketing, o desafio é o mesmo: encontrar soluções tecnológicas eficientes que ofereçam uma boa experiência do usuário.

Dessa maneira, há um encontro significativo de duas estratégias que irão facilitar a manipulação de aplicativos mobile, e gerar mais produtividade para as equipes que atuam no PDV (Ponto de Vendas).

Para ser considerado um aplicativo com experiência otimizada, a plataforma deve oferecer intuitividade e facilidade no uso. A solução tecnológica deve ser clara, de fácil manipulação e com alta encontrabilidade das funções. O uso desses aplicativos deve ser ágil, e não gerar dificuldades para o usuário conseguir realizar tarefas dentro da plataforma.

O impacto nas operações de trade

Gerar melhores resultados para os clientes. Aumentar os lucros. Ter equipes mais eficientes. Garantir a felicidade e o prazer de colaboradores. Esses são os principais objetivos de qualquer empresa, e podem ser alcançados com uma única estratégia: o aumento da produtividade

Ao otimizar a experiência do usuário corporativo em soluções mobile a empresa está garantindo mais produtividade nas equipes. Em Trade Marketing, um aplicativo irá tornar as equipes que atuam no PDV ainda mais eficiente, tornando as tarefas mais ágeis e ampliando o poder da comunicação.

Com essas funcionalidades, o trabalho das equipes do PDV será simplificado e facilitado com o uso de uma única plataforma digital, com intuitividade. Os aplicativos possuirão operação on-line e off-line, ou seja, nunca se tornarão um problema na rotina de trabalho desses usuários.

Além disso, há ainda outros benefícios extremamente práticos. Entre eles, a geolocalização dos promotores, captura de imagens do PDV, e relatórios dinâmicos e configuráveis. São facilidades encontradas com o uso de soluções tecnológicas.

Funcionalidades que melhoram a experiência do usuário em PDV

Experiência do usuário gestão de equipes PDV

Por também facilitar o monitoramento das equipes, por parte dos supervisores, os aplicativos ainda geram outro impacto significativo. Os colaboradores se tornam ainda mais engajados no trabalho, evitando atrasos e procrastinação de tarefas.

Portanto, ao otimizar a experiência do usuário corporativo, a empresa estará apostando em uma equipe com maior eficiência e produtividade. Dessa forma, haverá maior retorno financeiro e mais participação dos colaboradores.

Esse impacto positivo é percebido de maneira instantânea. Isso porque os aplicativos são fáceis de serem manipulados – não havendo a necessidade de cursos, treinamentos, nem período de testes.

As funcionalidades de um aplicativo são fatores determinantes para gerar uma melhor experiência do usuário corporativo em PDV.

Elas devem ser práticas e úteis, ou seja, ter uma importância e uma forte usabilidade nas tarefas comuns das equipes que atuam no PDV.

Por outro lado, essas funcionalidades devem ter fácil encontrabilidade e acessibilidade. A praticidade do acesso irá evitar perda de tempo, confusão e estresse nos colaboradores. Dessa forma, haverá uma melhor experiência do usuário na interface digital.

Por exemplo, com menus intuitivos, o usuário encontrará com facilidade todos os recursos disponíveis naquele aplicativo.

Basta acessá-lo, usando um usuário (login), senha e ambiente. O aplicativo terá conexão direta com o GPS e a câmera do smartphone do usuário, funcionalidades importantes para a geolocalização e para a produção de fotografias do PDV, respectivamente.

Otimizar estratégias

Além disso, o usuário corporativo encontrará funcionalidades como o controle de estoques e frentes; atividades de pricing e concorrência; atividades de pesquisas e merchandising.

Essas são algumas funcionalidades que tem a ver com o desempenho das estratégias de Trade Marketing.

Com a checagem dessas informações em tempo real é possível fazer melhorias no processo de maneira mais ágil e eficiente.

Por exemplo, ao verificar problemáticas no PDV ou que os preços estão mais baixos na concorrência. É possível corrigir esses desvios e gerar soluções pelo próprio app.

Outra funcionalidade que gera uma maior praticidade é a operação de cliente oculto. É muito mais fácil capturar informações de modo sigiloso usando um dispositivo comum, que não chama a atenção.

Além disso, a experiência do usuário é melhorada com a facilidade de possuir acesso rápido ao gravador de áudio para fazer entrevistas com consumidores e pesquisas de campo.

O usuário também poderá fazer check-in e check-out no aplicativo, e produzir questionários e formulários dinâmicos.

Essas são as vantagens de focar na experiência do usuário em algumas áreas.

Ficou interessado em saber quais outros segmentos isso é aplicado? Então fale com um especialista hoje mesmo.

Aproveite e leia esse artigo que fala sobre como apps auxiliam gestores na hora da tomada de decisão.

Até a próxima!