TI bimodal: O que é, e como a uMov.me pode apoiar sua empresa?

O Gartner recomenda a criação de uma TI bimodal, mas o que isto significa? Como era a estrutura das empresas no assunto Tecnologia da Informação (TI)? O que se espera de resultados e o que isto tem a ver com a plataforma uMov.me?

Durante algum tempo o “departamento de Tecnologia da Informação” era visto como uma área de suporte dentro da organização. Esta visão mudou, trazendo a tecnologia para se tornar uma área de capacitação, com um foco de habilitação de novos processos, negócios e com uma responsabilidade de trazer inovação, mas sabemos que operacionalizar este processo não é algo tão simples.

Quando o Gartner fala que se precisa de uma TI bimodal, se indica que a equipe tenha uma divisão no foco.
Passamos a ter duas “TIs”, então.

TI BimodalUma “TI de classe empresarial” que deve manter e suportar os serviços de TI de forma eficiente, com níveis de excelência e confiabilidade. Como sempre se buscou dentro das empresas. Podemos dizer que é uma equipe muito focada em sustentação dos processos de negócio, garantindo o bom funcionamento da organização.

E aparece uma chamada “TI oportunista“, pronta para aproveitar novas oportunidades de mercado e apoiar a organização no seu desenvolvimento, não apenas apoiando as diferentes áreas da organização mas agora sendo pró-ativa em relação ao que a organização pode desenvolver junto ao seu mercado.

O trabalho de inovação que a TI oportunista precisa gerar não é algo que se desenvolve da noite para o dia. É um processo. As equipes precisam estar atualizadas em alguns aspectos de tecnologia e de colaboração, e precisam entender principalmente que inovar não depende apenas de ter “novas ideias” e empurrar as outras áreas de negócio.

Dentro do contexto da equipe que capacita e habilita novos negócios, a inovação vem ser a junção de três aspectos:

  1. O desejo humano envolvido para uso de algum novo serviço, tecnologia ou simplesmente interesse em resolver um problema.
  2. A viabilidade do negócio acontecer e ser financeiramente possível.
  3. Qual a forma prática de fazer esta solução sair do papel e se tornar algo real, considerando o que se possui de tecnologia e de possibilidades dentro do contexto da empresa.

Muitas vezes existe tecnologia, mas trazer ela para funcionar no contexto em questão pode ser muito cara, o que pode inviabilizar o negócio. Então é preciso saber dosar estes três aspectos e poder então determinar o que pode ser inovação no contexto em que se está atuando. Precisamos trabalhar habilitando as áreas da organização a funcionarem melhor em equipe, na discussão das ideias e na construção dessa grande forma de colaboração. A partir desta junção, o processo criativo começa a funcionar.

O que se busca ou o que se precisa garantir dentro de uma equipe dentro da estrutura bimodal?

  • Informação: saber em cima dos resultados esperados, que informações se tornam úteis dentro da organização, saber quem usa e com qual objetivo. Aqui estamos precisando de boas práticas de gestão de conhecimento.
  • Redes de apoio e colaboração: saber dos processos da empresa, regras, dinâmicas, quem executa e com quais objetivos. A partir deste tipo de conhecimento se consegue criar redes de apoio e colaboração e criar mais sinergia dentro das equipes.
  • Operação: ter uma visão sistêmica da organização, sabendo o que precisa ser feito para que exista fluxo dentro da organização. Conhecer necessidades de integração e quais interfaces são necessárias para fazer o trabalho acontecer. Aqui é conseguir visualizar dependências para garantir o bom funcionamento dos processos.
  • Tecnologia: saber como a tecnologia funciona hoje dentro da organização, padrões, expectativas e dificuldades existentes. Nem tudo vai se resolver com tecnologia, mas ela pode ajudar ou atrapalhar nos avanços das áreas de negócio. Saber de possibilidades de uso das tecnologias, e saber também dos riscos ao aplicar determinadas ferramentas ou tecnologias no contexto, acabam por se tornar úteis no pensamento sistêmico e de longo prazo que a TI bimodal precisa estabelecer.

E neste sentido é preciso ouvir clientes e usuários para poder aprender o que acontece dentro de outros contextos ou simplesmente descobrir algo que já acontece dentro da organização mas não é considerado como padrão.

Com as informações e conhecendo formas de colaboração, conhecendo a operação e com base na tecnologia disponível, a equipe de tecnologia passa a dominar o contexto e poderá atuar de forma facilitadora entre as áreas, habilitando novos processos de colaboração e descobrindo problemas / oportunidades de inovar. É sempre importante lembrar que isto é um processo e não um evento. É um trabalho constante buscando desenvolver pessoas e habilitando formas de comunicação que sejam mais efetivas para a organização.

Onde a uMov.me pode apoiar?

A plataforma uMov.me tem capacidade de apoiar os clientes nas ações de prototipação, criação e validação do trabalho sendo desenvolvido. Sendo uma plataforma onde não se precisa de conhecimento de uma linguagem de programação para desenvolver a solução, sendo um acelerador no processo de desenvolvimento de aplicativos e soluções.

As empresas conseguem envolver as áreas de negócio dentro do processo de desenvolvimento e ganhar muito com os processos de feedback que se habilitam. Se permite um desenvolvimento incremental de evoluções e mais integração com os clientes que conseguem ver o trabalho sendo desenvolvido em conjunto.

Além disto, podemos apoiar ajudando nossos clientes a conhecerem as formas de trabalho que usamos internamente para desenvolvimento da plataforma. Desde o início do desenvolvimento da plataforma, atuamos com uma estrutura centrada no desenvolvimento do nosso cliente, onde todas as melhorias que acontecem tem como foco o cliente. As otimizações e avanços só farão sentido se o impacto for positivo com nossos clientes.

O nosso modo de funcionar é baseado em pequenos ciclos de avanços para poder entregar novidades da plataforma de forma constante. Sempre analisando onde podemos melhorar. Somos praticantes das Metodologias Ágeis, onde assuntos como automação, Lean Thinking, eXtreme Programming, Kanban e Scrum acabam por fazer parte do nosso dia a dia.

Nossa equipe é referencia nacional e atua como palestrantes em diversos eventos de tecnologia e gestão do país contando nossas experiências com desenvolvimento de tecnologias e pessoas e estamos disponíveis para compartilhar nossas experiências com você.

Referências: 

– Artigo CIO – TI bimodal é uma das tendências para 2015, segundo o Gartner.

– Artigo IT Forum 365 – CIOs precisam de TI bimodal para obter sucesso com negócios digitais.